-posts recentes

- Rezas populares

- Freguesias do Concelho

- MEDICINA CASEIRA

- Canções do Ferro Bico

- ABEL CAMPOS SEQUEIRA (Fun...

- FERRO BICO

- ANTÓNIO MENANO - FADO DE ...

- Fornos de Algodres

- Festas na Vila de Fornos

- Fornos antigamente

-arquivos

- Agosto 2007

- Setembro 2006

- Julho 2006

- Junho 2006

- Maio 2006

- Abril 2006

-mais sobre mim

Quinta-feira, 8 de Junho de 2006

Canções do Ferro Bico

VOCÊ SABE DE ONDE VENHO


        Você sabe onde venho
        Mas não sabe o que é que tenho
        Que me faz emagrecer
        Corro tudo seca e maeca
        E nem já nem uma faneca
        Eu encontro para comer
        E com esta aflição
        Já não faço a digestão
        Há uns quatro meses para cá
        Então no adelininho
        Vou às lojas dos santinhos
        Só me dizem que não há
        Tenho lá em casa uma senha
        A criar teias de aranha
        Isto á que é um grande frete
        Até a minha criada
        Lhe achou imensa piada
        Foi as por lá na retrete
        Continuo a jejuar
        Sem ter nada para comprar
        De que me serve o dinheiro
        E o bacalhau já morreu
        O arroz desapareceu
        Só há rama de pinheiro
        Tenho a candeia apagada
        Só tem torcida e mais nada
        Petróleo não há quem tenha
        Entro no Regedor
        Fui-me queixar ao Administrador
        E depois fujo para Espanha.
     
    Letra de: Abel Campos Sequeira
     Cantado por: Abílio de Pina




                 ROSINHA


        Minha querida Rosinha
        Que ao leres  a minha cartinha
        De saúde estejas bem
        Tantas saudades nem sei
        De ti que te lá deixei
        E da minha Santa Mãe
        É tão triste a minha sorte
        Andar tão perto da morte
        E tão distante de ti
        Eu bem sei que sou soldado
        Mas sem te ter a meu lado
        A vida não me sorri
        Depois a pobre velhinha
        Tão distante e tão sozinha
        As lágrimas que há-de chorar
        És tu e ela na vida
        Que me dão forças queridas
        Para tanta dor suportar
        É cá uma fé podes crer
        Que aqui não hei-de morrer
        Sem a velhota abraçar
        Voltarei à nossa terra
        Quando terminar a guerra
        Contigo hei-de casar
        Não te posso escrever mais
        Dá saudades a meus Pais
        E para ti com amizade
        Lá vai mais uma saudade
        Saudades que não têm fim
        Deste que é só teu, Joaquim.


    Letra e música de : Abel Campos Sequeira
    Cantado por :  Teresa Andrade


publicado por Luis Pina às 13:11

link do post | comentar | favorito
|

-mais sobre mim

-pesquisar

 

-Agosto 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
23
24
25

26
27
28
29
30
31


-links

-Fazer olhinhos

blogs SAPO

-subscrever feeds