-posts recentes

- Rezas populares

- Freguesias do Concelho

- MEDICINA CASEIRA

- Canções do Ferro Bico

- ABEL CAMPOS SEQUEIRA (Fun...

- FERRO BICO

- ANTÓNIO MENANO - FADO DE ...

- Fornos de Algodres

- Festas na Vila de Fornos

- Fornos antigamente

-arquivos

- Agosto 2007

- Setembro 2006

- Julho 2006

- Junho 2006

- Maio 2006

- Abril 2006

-mais sobre mim

Sexta-feira, 12 de Maio de 2006

Provérbios da nossa Terra

    O que cresce é o que abastece

    Quem quer festa sua-lhe a testa

    Quem não come por ter comido, não é doença de perigo

    Mateus, em primeiro lugar os teus

    Mãos que não dais porque esperais

    Um dado ruim duas mãos sujas

    Quem ganha três e gasta quatro escusa bolsa sem saco

    Dá Nosso Senhor o frio conforme a roupa, mas dá mais a quem tem pouca

    Tudo tem o seu tempo, até o caldo dos nabos no advento

    Quem tudo come sózinho, pouco pode esperar do alheio

    Recado sem dinheiro esquece ao primeiro ribeiro

    Quem tem fome cardos come

    Ande eu quente ria-se a gente

    Quem parte e reparte e para si não toma a melhor parte ou é tolo ou não tem arte

    Quem come e dorme com todo mal pode

    Filho de bode não pode sair carneiro

    Bocado comido não lembra amigo

    Ovelha que anda a muito carneiro não se sabe quem é o pai do cordeiro

    Nem a rainha se serve sem a sua vizinha

    Quem não poupa água e lenha não poupa coisa que tenha

    Deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer

    Vem a guerra e vai-se a guerra e sempre fica a terra

    Chuva de Santiago cada pinga vale um cruzado

publicado por Luis Pina às 13:53

link do post | comentar | favorito
|

-mais sobre mim

-pesquisar

 

-Agosto 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
23
24
25

26
27
28
29
30
31


-links

-Fazer olhinhos

blogs SAPO

-subscrever feeds